Animais exóticos dividem preferência dos amantes de pets

Aquisição e comercialização de pet exótico exige licença ambiental. Diversidade nas opções atrai fãs de animais que não querem cães ou gatos.

Por Redação 06/07/2017 - 02:55 hs

Apesar dos quatro cachorros que tinha em sua casa, no interior de São Paulo, a adolescente Luana Bassi, de13 anos, não estava satisfeita. Apaixonada por animais, ela decidiu aumentar a 'família de bichos' e adotar uma espécie diferente. Para isso, ela foi até uma loja especializada em animais silvestres e exóticos e escolheu um filhote de furão, que chama Thor. A experiência foi tão boa que três meses depois, veio mais um pet. Desta vez, o papagaio Jade.

"Sempre gostei de animal. Fui à loja e fiquei apaixonada quando vi o furão. Ele é muito fofo. Fica na gaiola e não dá muito trabalho. À noite, eu solto ele pra gente brincar de bolinha e ele correr pela casa. Depois dorme numa gaveta. A Jade eu comprei ainda filhote. Eu vi e me apaixonei. Está aprendendo a falar agora. É muito legal, vai no ombro de todo mundo", disse.

Animais exóticos ou silvestres como o furão e o papagaio são uma saída para amantes de pets que querem outras opções além dos domésticos cães e gatos.

No entanto, é necessário ter cuidado. Pela legislação, exóticos são animais da fauna que só podem ser comercializados por pessoas autorizadas. Quem compra, também precisa de uma licença do Ibama para criar o bicho.

Nativos são da nossa fauna, do Brasil. Exóticos têm uma parte do ciclo reprodutivo fora do Brasil. Esses animais precisam ser adquiridos de criadores autorizados", explicou.

Lagarto exótico Taubaté Amigo Pet (Foto: Filipe Rodrigues/G1)


É importante conhecer o comportamento do animal. Pois não estamos falando de produtos, estamos falando de vidas. Como todo animal, isso gera custo e cuidado. É importante saber se ele se adequa à sua rotina de vida, se você tem espaço suficiente.

Entre os animais mais procurados, estão o furão e o papagaio, como os da Luana Bassi, além de araras, corujas e primatas como saguis.

Legislação
No site do Ibama, há uma classificação dos tipos de animal. Há também espécies que tem sua comercialização proibida para pessoas físicas. Quem faz a venda deste tipo de animal sem permissão podem responder por tráfico de animais, cuja pena chega a cinco anos de prisão.

Grou coroado Amigo Pet Taubaté (Foto: Filipe Rodrigues/G1)
Fonte G1