Sistema de Avaliação Unificado pode representar grande salto de qualidade na educação municipal

Método permitirá apurar de maneira mais ampla e detalhada em que estágio se encontra o nível de aprendizado dos alunos.

Por Redação 08/05/2017 - 11:30 hs
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Botucatu decidiu encarar um grande desafio que se apresenta para o sistema público de ensino em todo o Brasil: elevar a qualidade da educação ofertada desde os primeiros anos de escolarização para que as crianças possam dar continuidade plena às aprendizagens nas etapas seguintes da vida.

A principal novidade é a criação de um Sistema de Avaliação Unificado, que permitirá à Secretaria Municipal de Educação apurar de maneira mais ampla e detalhada em que estágio se encontra o nível de aprendizado dos alunos e a efetividade da didática que os professores aplicam em sala de aula. As avaliações acontecerão a cada bimestre através de simulados que incluem provas de Matemática e Língua Portuguesa, com a participação de alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental I e do 9º ano do Ensino Fundamental II da rede municipal de Ensino. 

Os primeiros testes foram aplicados nos dias 25 e 26 de Abril e envolveram cerca de 6,5 mil alunos. Na manhã desta sexta-feira (5), o prefeito Mário Pardini e a secretária de Educação, Lucilene Alves Cota, estiveram reunidos com coordenadores, diretores e gestores para avaliar a implantação dessa nova metodologia de avaliação e os primeiros resultados alcançados. 

“Esse trabalho nos permitirá traçar estratégias voltadas à melhoria do ensino em sala de aula, a partir de dados consistentes. A ideia é identificar e agir em cima das dificuldades a partir das primeiras séries para que ao chegar no Fundamental II, o aluno esteja mais preparado. Temos uma prova padrão para toda a rede, nos moldes do que acontece em um vestibular. As provas são elaboradas sem que as escolas tenham conhecimento de seu conteúdo. Esse novo sistema de avaliação unificado tem tudo para se tornar modelo para outros municípios. Nossa meta, para o ano que vem, é estendê-lo para toda a rede”, informa Lucilene. 

De acordo com Maria Conceição Degand, coordenadora do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano), o simulado trará outros benefícios para a os alunos da Rede Municipal de Ensino. “Isso é possível a partir do momento em que o corpo docente receber diagnósticos constantes da aprendizagem, podendo fazer intervenções mais rápidas e assertivas, favorecendo o aprendizado dos alunos, além de acompanhar o desenvolvimento durante o ano letivo”, explica.

Magda Regina Troncarelli, coordenadora do Ensino Fundamental II, frisa que a participação dos pais e responsáveis neste processo é muito importante e reuniões estão sendo realizadas para buscar o apoio e participação. “Os pais estão sendo convidados a participarem de reuniões onde os gestores estão colocando a importância dos simulados e pedindo a colaboração para que nos dias das provas os alunos compareçam e realizem o simulado”, conclui.

O Núcleo de Tecnologia da Informação da Secretaria de Educação tem atuado para garantir precisão e agilidade no fornecimento das informações extraídas a partir das provas realizadas pelos alunos. Ao final do primeiro simulado, imediatamente foram impressos os gabaritos com o nome de cada criança. O sistema de leitura ótica permitiu que em apenas quatro dias fosse apurado o andamento da prova em toda a rede. Os dados possibilitarão avaliações de desempenho de forma global e individualizada por escola, por turma e por aluno. 

“Assim que os dados forem tabulados e transformados em gráficos permitirão que cada escola consiga enxergar onde são necessárias intervenções para melhorias no processo ensino-aprendizagem. Num espaço bem menor de tempo e com um conjunto maior de dados e informações do que o Governo Federal poderá oferecer para a rede municipal através de suas avaliações”, salienta Juliano Bacchi, Supervisor do Núcleo de TI.  

A aplicação dos simulados contribuirá ainda para que os alunos da rede municipal tenham contato, já nos primeiros anos de escolarização, com um método de avaliação semelhante ao que encontrarão em um futuro próximo, quando passarão pela Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) e pela Prova Brasil.  

Esse início de trabalho tem motivado toda a comunidade escolar. Telma Elaine Bassetto Martins de Almeida, diretora da EMEF “Luiz Tácito Virgínio dos Santos”, acredita que o Sistema de Avaliação Unificado representará uma grande evolução para a educação como um todo. 

“Nós só temos a ganhar com todo esse movimento que acontece na educação. A cada avaliação será possível notar a evolução que cada escola teve em relação as demais e ao desempenho dela mesma. Vale frisar que estão sendo contratados professores de reforço que estarão trabalhando com os alunos no contra turno. Em casos especiais eles terão reforço também no horário escolar para sanar as dificuldades. E todos os alunos especiais estão sendo encaminhados para salas de recursos do município. Será um crescimento vertical e horizontal”. 

 

Fernanda Regina Ribeiro Aires, diretora da EMEFEI “Luiz Carlos Aranha Pacheco”, diz que o importante nesse novo processo é garantir ferramentas para fazer uma intervenção diagnóstica. “A gente pegar o aluno que está com dificuldade e intervir para que ele evolua. O que a gente não tinha antes era esse suporte que agora os projetos de contra turno trouxeram, de ter o reforço escolar pensado em cima da dificuldade de cada aluno. Se a gente tiver esse foco sempre, o sucesso é garantido”, prevê.