Botucatu adere ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Programa tem como objetivo reduzir pela metade o número de óbitos no trânsito até 2020. Meta do Governo do Estado é terminar 2017 com 52 novos municípios conveniados.

Por Redação 10/02/2017 - 11:34 hs
Foto: Divulgação
Botucatu adere ao Movimento Paulista  de Segurança no Trânsito
"O Poder Público tem que assumir esta responsabilidade”, afirma Peres.

Botucatu agora faz parte do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa que tem como objetivo reduzir pela metade o número de óbitos no trânsito até 2020. Em solenidade realizada na quarta-feira (8), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin assinou convênios com 13 cidades. Entre elas Botucatu, que foi representada pelo vice-prefeito, André Peres, que também responde pelas Secretarias de Infraestrutura e Mobilidade Urbana.

Ano passado, 15 municípios já faziam parte deste mesmo programa, no qual foram investidos R$ 10 milhões. A meta do Governo do Estado é terminar 2017 com 52 novos municípios conveniados. O investimento a ser dividido entre as cidades aderidas ao Movimento Paulista de Segurança no Trânsito será de R$ 100 milhões, recursos provenientes de multas do Detran SP.

A partir desses convênios, os municípios receberão auxílio para realização de uma melhor análise da gestão da segurança viária e, posteriormente, a criação de um Comitê de Segurança no Trânsito. Com isso, serão realizados diagnósticos e construídos planos de ação com medidas preventivas de acidentes, além da fiscalização e conscientização sobre a importância da direção defensiva.

Depois da identificação dos locais dos acidentes, as cidades contempladas nos convênios poderão contar com melhorias de infraestrutura como construção de passarela, alargamento de calçadas, iluminação, sinalização, como inclusão de nova faixa de pedestre, entre outros.

“Nós temos uma meta, que é reduzir o número de mortes no trânsito e o número de acidentes”, afirmou o governador Geraldo Alckmin. “Afinal, a maior causa externa de morte é acidente rodoviário. É muito mais perigoso andar de carro ou moto que o risco do homicídio”, alertou o governador.

Enfrentamento às estatísticas

De acordo com o INFOSIGA, base de dados estatísticos o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Botucatu contabilizou 37 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito em 2016. A maioria no primeiro semestre. Diante deste fato, o Município passou a adotar medidas mais enérgicas como ampliação da fiscalização eletrônica e redução da velocidade (traffic calming) em mais de 20 vias. Sem falar nas campanhas educacionais de rotina.

Após visitas in loco feitas pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), também foi providenciada a readequação da sinalização viária, o que incluiu novas pinturas de solo e substituição de mais de 2 mil placas. O resultado pode ser sentido no segundo semestre do ano passado. Em agosto e novembro houve redução em mais de 30% no número de acidentes de trânsito, em comparação ao mesmo período de 2015.

 

“Fazer parte deste programa proporcionará um suporte ainda maior para que o Município possa fazer o enfrentamento à violência no trânsito. Seja através de ações fiscalizadoras ou serviços de infraestrutura viária. Além disso, Botucatu possui um Centro Vivencial de Trânsito modelo. Neste espaço, crianças e adultos poderão participar cada vez mais de atividades lúdicas e serem multiplicadoras de um trânsito mais seguro. Não podemos mais aceitar que vidas humanas virem estatísticas. O Poder Público tem que assumir esta responsabilidade”, afirma Peres.