Botucatu sediou Seminário Paulista de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

O evento reuniu diversas autoridades, entre elas, o prefeito Municipal João Cury Neto.

Por Redação 23/11/2016 - 17:44 hs
Foto: Divulgação
Botucatu sediou Seminário Paulista de  Plantas Medicinais e Fitoterápicos
Para o prefeito João Cury Neto, este projeto é transformador e inovador.

No dia 11 de novembro Botucatu foi sede do Seminário Paulista dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, no Parque Tecnológico Botucatu.

O evento reuniu diversas autoridades, entre elas, o prefeito Municipal João Cury Neto; representante do Ministério da Saúde, Daniel César Nunes Cardoso; coordenador da CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral de Botucatu, engenheiro agrônomo Júlio César Thoaldo Romeiro; secretário de Agricultura, Milton Bosco; coordenador da Assistência Farmacêutica da Fundação Uni, Leandro Garcia; secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Carlos Alberto Costa; agente de Desenvolvimento local e coordenador do APL de Botucatu, Márcio Gonçalves Campos e o diretor do Parque Tecnológico de Botucatu, Antonio Vicente da Silva.

O seminário teve como tema central a produção de insumos estratégicos para a indústria farmacêutica, laboratórios oficiais e comunitários. Na oportunidade também foi destacado os 10 anos de estruturação da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no Sistema Único de Saúde (SUS).

O evento teve como objetivo provocar um debate entre os diversos atores do segmento com relação às possibilidades de maior participação dos medicamentos fitoterápicos nas assistências farmacêuticas no Estado de São Paulo, principalmente por meio da rede básica de Saúde como PSF e UBS e dos hospitais das redes municipal, estadual e universitários.

Os palestrantes foram representantes das instituições acadêmicas, empresas do segmento, produtores rurais e profissionais de Saúde Pública, que apresentaram suas demandas de insumos, seus negócios, as pesquisas e as perspectivas neste segmento.

O Seminário Paulista dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Plantas Medicinais e Fitoterápicos envolveu importantes instituições como a Prefeitura de Botucatu, Ministério da Saúde, Sebrae-SP, Prospecta – Incubadora Tecnológica de Botucatu, Medicina Verde, Grupo Centroflora, Instituto de Biociências de Botucatu – Unesp, Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp – Botucatu, CNPq, Faculdade de Medicina da Unesp – Botucatu, Fundibio, FEPAF, Grupo Centroflora, CATI e Parque Tecnológico Botucatu.

“Botucatu é referência nacional e no ano de 2012 foi aprovado no Ministério da Saúde recursos para o desenvolvimento da cadeia produtiva no Município, que se inicia com a produção de plantas medicinais pelos agricultores familiares e se transforma em extratos vegetais na indústria e que por fim se utiliza como medicamento na rede de saúde apoiados pela pesquisa e pelas entidades de apoio”, conclui Marcio Campos, coordenador do APL de Botucatu.

 

Para o prefeito João Cury Neto, este projeto é transformador e inovador. “Porém, precisamos se unir para exercitar o óbvio e fazer o precisa ser feito. E ainda há muito para se trabalhar. Parabenizo a todos que tem interesse pelo tema, trabalham ele e são buscam uma política pública de saúde e de bem estar da nossa população”, destaca Cury.