Bauru: Sindquimbru e Fequimfar distribuem folhetos do movimento Outubro Rosa e Novembro Azul

Trabalhadores são alertados sobre a necessidade de prevenção dos cânceres de mama e de próstata.

Por Redação 21/11/2016 - 18:18 hs
Foto: Divulgação
Bauru: Sindquimbru e Fequimfar distribuem folhetos do movimento Outubro Rosa e Novembro Azul
Este tipo de ação pode ser decisiva para mulheres e, principalmente homens.

Ao chegar para iniciar a jornada nesta segunda-feira (21) trabalhadores e trabalhadoras de uma empresa do setor químico em Bauru foram recepcionados, no portão de entrada, por diretores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas de Bauru e Região (Sindquimbru) e da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo (Fequimfar) com uma mensagem importante para a saúde: a necessidade de prevenção dos cânceres de mama e de próstata.

Integrando o movimento “Outubro Rosa" e "Novembro Azul”, o Sindicato e a Fequimfar entregaram aos trabalhadores folhetos sobre as duas doenças e a importância da realização periódica de exames para diagnóstico precoce. As mulheres ganharam ainda, lápis de olho de brinde.

Edson Dias Bicalho, presidente do Sindquimbru e secretário-geral da Fequimfar, ressalta que é necessário levar informação e conversar sobre a doença, principalmente com os homens porque, infelizmente, o exame para detecção do câncer de próstata ainda é tabu para muitos.

Laura Santos, coordenadora do Departamento de Mulher da Fequimfar e diretora financeira do Sindicato dos Químicos de Itapetininga, que assim como Levy Gonçalves Ferreira, diretor do Sindicato dos Químicos de Louveira, foi a Bauru especialmente para a panfletagem do “Outubro Rosa" e "Novembro Azul”. Este tipo de ação pode ser decisiva para mulheres e, principalmente homens, tomarem a decisão de procurar um médico e fazer o exame preventivo de câncer.

“Hoje mesmo já tivemos dois relatos: de uma mulher, de que seu marido fez o exame, descobriu o câncer de próstata e está em tratamento. E de um senhor que recentemente fez o exame”, conta ela, que depois de Bauru seguiria para Marília e outras cidades para realizar atos semelhantes. “Estamos desenvolvendo este trabalho de informação e conscientização do ‘Outubro Rosa' e 'Novembro Azul’ em todo o Estado de São Paulo. Estamos distribuindo 30 mil folhetos e, em algumas localidades, temos parcerias com serviços de saúde para levar palestras aos trabalhadores e trabalhadoras”, conta.

Bicalho adianta que todos os trabalhadores e trabalhadoras da base do Sindquimbru vão receber o panfleto do movimento “Outubro Rosa" e "Novembro Azul”. A saúde vem em primeiro lugar. Somente estando sadia a pessoa tem plenas condições de trabalhar, assim como de levar sua vida normalmente.

Os sindicatos têm por obrigação fiscalizar, em conjunto com órgãos públicos, ambientes de trabalho para identificar irregularidades e formular propostas com o objetivo de eliminar as causas de acidentes e doenças ocupacionais que provocam danos à integridade física e mental dos trabalhadores e das trabalhadoras. Nós da Fequimfar acreditamos que devemos ir além, nos engajarmos e participarmos de campanhas e de movimentos que visam a saúde e o bem-estar de todos os cidadãos. Por isso integramos os movimentos como o Outubro Rosa e o Novembro Azul”, explica.

 

Sobre o movimento Outubro Rosa e Novembro Azul

O movimento Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama e promover a conscientização e informação de todos sobre a importância da detecção precoce do Câncer da Mama. Nos últimos anos a Fequimfar e Sindicatos filiados fortaleceram o apoio e participação na campanha, promovendo espaços de discussão sobre câncer de mama, divulgando e disponibilizando materiais informativos, integrando também a Campanha Novembro Azul, de prevenção ao câncer da próstata.

 

Os eixos da campanha são: Divulgar informações gerais sobre câncer de mama; Promover o conhecimento e estimular a postura de atenção das mulheres em relação às suas mamas e à necessidade de investigação oportuna da s alterações suspeitas (Estratégia de Conscientização); Informar sobre as recomendações nacionais para o rastreamento e os benefícios e os riscos da mamografia de rotina, possibilitando que a mulher tenha mais segurança para decidir sobre a realização do exame.

“O nosso objetivo é reforçar as recomendações do Ministério da Saúde para que mulheres e homens façam exames periódicos, o que é muito importante para o diagnóstico precoce dos cânceres de mama e de próstata. E com diagnóstico precoce, as chances de curam aumentam”, completa Bicalho. O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano, e apesar de ser raro antes dos 35 anos os casos aumentam progressivamente, principalmente após os 50 anos. Entre a população masculina total, o câncer de próstata representa a segunda causa de mortalidade por neoplasias.