Sant´Ana

Um singela homenagem a nossa história

Por Leandro Mioni 20/07/2016 - 17:19 hs
Sant´Ana
Nova iluminação da Catedral de Sant\\\'Ana

O nome Ana vem do hebraico e significa graça.  Ana foi mãe de Maria que foi mãe de Jesus Cristo, por isso a importância dela no contexto histórico cristão. Ana era casada com Joaquim, um homem galileu justo, bom e de posses. O casal habitava em Jerusalém perto do Tanque de Betesda, porém o casal não podia ter filhos, fato não aceito dentro da sociedade judaica naquela época, pois diziam se não tinham filho era porque a mulher era amaldiçoada, a esterilidade sempre recaia em cima da mulher nunca do homem.

O casal sofreu por não poderem gerar filhos, Joaquim era descriminado pelos próprios sacerdotes do templo e Ana era tida como maldita. Joaquim então sai em direção ao deserto se retirando em oração, até que um anjo aparece a ele e diz que suas preces haviam sido ouvidas. Simultaneamente um outro anjo aparece a Ana e diz as mesmas palavras a ela. Pouco tempo depois de Joaquim ter voltado pra casa, Ana engravida e dá a Luz a ninguém menos que Maria, que viria a ser Mãe de Jesus Cristo.

A Devoção a Sant´Ana vem desde o início do Cristianismo no Oriente e no ocidente a partir do   século VI. As principais catedrais e basílicas em homenagem a Sant´Ana estão situadas em Jerusalém: a Basílica de Sant´Ana que fica onde moravam São Joaquim e Sant´Ana perto do Tanque de Betesda e a Catedral de Sant´Ana em Durem na Alemanha, onde se encontram várias relíquias ligadas a Santa.

O Papa Gregório XIII foi quem instituiu o dia 26 de julho como o dia de Sant´Ana no ano de 1584, tempos depois também o dia de São Joaquim. Sant´Ana também é conhecida como padroeira das Avós, claro pelo fato de ter sido avó de Jesus.

MAS COMO SANT´ANA SE TRANSFORMOU PADROEIRA DE BOTUCATU?

Até a data de 23 de dezembro de 1843 a padroeira das terras do arraial de Cima da Serra era Nossa Senhora das Dores, que por aqui era conhecida como Nossa Senhora das Dores de Cima da Serra, porém com a doação das terras para a formação de uma nova freguesia pelo Capitão José Gomes Pinheiro a padroeira mudaria,  como mudaria o nome da  freguesia para Freguesia de Sant´Ana de Botucatu, o capitão exigiu claro que a nova padroeira fosse Sant´Ana, uma singela homenagem  a sua querida esposa que se chamava Ana Florisbela, desde então a padroeira da cidade de Botucatu é Sant´Ana, Mãe de Maria e avó de Jesus.

A primeira capela de Botucatu ficava onde hoje é a praça Paratodos, mais precisamente onde é o ponto de ônibus e as Forças Conjuntas de Segurança da cidade, entre a Av. Floriano Peixoto e Rua Petrarca Bachi, considerada a primeira Matriz, foi ali que começou a cidade.

A catedral dedicada a Sant’Ana atualmente é na praça Rubião Júnior e foi construída em duas etapas. A primeira etapa, que com o correr do tempo ficou conhecida como Catedral Velha, foi inaugurada no Natal de 1892, ficou por ali um bom tempo e logo mais deu lugar a chamada Catedral Nova, que viria a ser a segunda etapa, que teve um longo período de construção, ficando pronta para a inauguração no dia 8 de dezembro de 1943, mesmo assim passou por obras de acabamentos durante anos por vir, como a finalização da cripta, escadarias e sinos.

Neste ano, a Catedral conta com uma nova iluminação inaugurada as vésperas da data comemorativa dedicada a Santa Padroeira.

Para uma nova cidade, um novo fundador, uma nova primeira dama e uma nova padroeira.

José Gomes Pinheiro

Ana Florisbela

Sant´Ana.

 

Fonte: Achegas Para a História de Botucatu (Hernâni Donato)